CIRCUITO DE TERREIROS


  • Nação Nagô Terreiro Obá Ogunté – Sítio de Pai Adão - O Terreio Obá Ogunté, fundado por volta de 1875 pela africana Inês Joaquina da Costa, também chamada de tia Inês, é a mais antiga casa de culto Nagô em Pernambuco.  Atualmente mais conhecido como Sítio de Pai Adão, o terreiro é o primeiro da nação xangô no Recife e leva esse nome devido ao seu mais conhecido pai do terreiro – Felipe Sabino da Costa (Pai Adão), nascido em 1877 e falecido em 1906.O Sítio de Pai Adão é consagrado a Iemanjá, uma homenagem dos adeptos a cidade do Recife, cidade do rio e do mar. O local foi o primeiro terreiro a ser tombado por Patrimônio Histórico do Estado, sendo até hoje uma referência nacional de tradição da cultura nagô afro-religiosa. No terreiro, há enormes gameleiras tidas como sagradas utilizadas no culto ao orixá Iroko.

    Endereço: Estrada velha de Água Fria
    Telefones: (81) 3443-9412 / 8804-0194

 

  • Nação Angola AbassáOmim Axé de Dandulanda -Fundado em 1986, no bairro do Ipsep, a história do terreiro está diretamente ligada à do Tata Moacir de Angola, iniciado no Candomblé pela Mãe Almerinda. Começou a fazer reuniões no quintal de sua casa e assim surgiram os primeiros filhos de santo, em seguida o primeiro iniciado e a abertura do Abassá (salão onde se realizam as cerimônias públicas do camdomblé).Passados mais de 40 anos, hoje a Casa de Pai Moacir é a única de matriz africana que representa o Axé Goméia no Recife. A casa também tem trabalho de acolhimento nas comunidades vizinhas da Imbiribeira, com distribuição de canjica branca, arrecadação de cestas básicas e oficinas de afoxé, contando também com um grupo do mesmo chamado Filhos de Dandalunda.

    Endereço: Rua Madrid, 110 – Imbiribeira, Recife.
    Telefone: (81) 3339-3087 / 3034-8730

 

  • Casa de Matriz Ylê Asé Ayrá Adjáosi - Fudando em 1949, o Terreiro de Candomblé Tenda Santo Cosme E Damião, situado na antiga Rua 20 – Nº 40, atual Rua Severino Bernardino Pereira – Alto José do Pinho, era comandado por Josias Leônidas Neves, o Josias de Ogun e por Gercina Pinheiro da Silva, a Gercina de Sangô.  Na década de 70, após o falecimento do Sr. Josias de Ogun, a casa começou a ser denominada por Ylê Asé Ayrá Adjáosi. Nessa época o candomblé começou a ser comandado pelo Sr. Dito D’Oxossi, que criou em 17 de agosto de 1986 o Afoxé Ylê de Egbá. No ano de 1988 a casa mudou de endereço permanecendo na mesma rua, Severino Bernardino Pereira, agora no Nº 216, até os dias atuais resgatando e mostrando a cultura da ancestralidade negra.

    Endereço: Rua Severino Bernardino Pereira, 216. Alto José do Pinho – Recife.
    Telefone: (81) 8806-5371