CIRCUITO DOS BAOBÁS


Baobá, árvore nativa de terras africanas, também conhecida como a árvore da vida, pode alcançar até 30 metros de comprimento e encontrou em nossa cidade as condições ideais, tanto pelo clima como pelo solo. Atualmente, no Recife, há 13 baobás tombados como patrimônio pela Prefeitura da Cidade.

Sugestão de visitas:

  • Praça da República - Alguns estudiosos conferem à época da presença Mauritânia (séc. XVI), o plantio desta árvore. Especula-se que teria inspirado o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, aviador que teria estado no Recife na época da Segunda Guerra, para colocar a árvore no seu mais famoso livro, “O Pequeno Príncipe”;
     
  • Fundão - Um dos mais antigos, o baobá da Rua Cel. Urbano de Sena foi carinhosamente apelidado de "Barriguda", devido ao tamanho de seu tronco e é ponto de referência de quem mora nas redondezas;
     
  • Parque da Jaqueira - O maior em extensão do Recife reúne dois espaços distintos: o do sítio histórico, onde se localiza a capela, e a parte destinada à prática de esportes, às atividades culturais e contemplativas. Lá se encontra um baobá bastante jovem, mas que ganha muitos abraços de quem anda por ali;
     
  • Encruzilhada - Atrás do Mercado da Encruzilhada, Zona Norte, está um dos mais jovens baobás tombados, com pouco mais de 20 anos; foi plantado em 1985 pela Prefeitura do Recife num “movimento pelo resgate de alguns símbolos do Recife”;
     
  • Faculdade de Direito - No coração do centro urbano do Recife está localizada uma unidade da Universidade Federal de Pernambuco, importante construção no centro de uma área ajardinada; Mais um dos baobás do circuito se encontra preservado na instituição.

 

Tempo estimado:

4h

Melhor horário:

Manhã/tarde

Espaço público:

Sim

Valor:

Grátis

Possível de fazer a pé:

Não